Este sábado fui almoçar ao porto, mas antes fui conhecer a Livraria Lello. Um espanto, montes de gente, se todos comprassem um livro, era um grande negócio. Eu comprei, e como era perto da hora do almoço perguntei na caixa onde é que havia uma tasquinha ali por perto onde se comesse bem, recomendaram-me o Rei dos Galos de Amarante, e que não me esquecesse de comer o Pudim do Abade de Priscos, e lá fomos nós.

Havia Cozido, Papas de Sarrabulho, Posta Mirandesa, Frango na Púcara e Bacalhau à Rei. Escolhemos Bacalhau e a Posta, eu por mim tinha comido o frango, em casa de Galo, mas a Posta também estava óptima, o Bacalhau é feito à moda do Minho, frito, acompanhado com batatas fritas e uma cebolada por cima, muito bom.

Para a sobremesa, não havia o Pudim! Ía-me dando um treco, não fosse uma tarte de amêndoa que eu não escolhi, mas que estava excepcional.

Rei dos Galos de Amarante, a tasquinha simpática

O Sr. Rodrigo e a D. Rosa são uma simpatia. Como fomos os últimos a sair, o Sr. Rodrigo sentou-se connosco à mesa a falar um pouco da sua vida e da sua companheira a trabalharem juntos hà 45 anos.

Rei dos Galos de Amarante

Depois de falar um pouco com a D. Rosa percebi como se faz este bacalhau que aqui se chama à Rei, mas que é parecido com o Bacalhau à Minhota.

Rei dos Galos de Amarante

Depois de tudo isto fiz a minha própria versão de bacalhau do rei (ver receita).